Atualização de Novembro de 2008

Fiz pequenas alterações no site que, acredito, tornarão a visita a este site mais agradável.

Primeiro, o site está rodando no WordPress 2.7 Beta 3. É uma versão que já se encontra muito estável e que adiciona recursos interessantes, como comentários aninhados por exemplo.

Segundo, o site agora está usando o tema Hybrid, que é altamente customizável e compatível com os recursos do WordPress 2.7. O visual não deixa a desejar também.

Talvez eu ainda faça mais alterações, mas por hora é o que vocês têm.

Agora, eu gostaria de aproveitar a oportunidade e ensinar vocês a usar certos recursos dos comentários.

  • Para fazer com que textos fiquem em negrito, vocês devem colocá-los entre as tags <strong> e </strong>. Evitem usar <b> e </b>.
  • Para fazer com que textos fiquem em itálico, vocês devem colocá-los entre as tags <em> e </em>. Evitem usar <i> e </i>.
  • Para citar o texto de uma pessoa, ao invés de usar negrito ou itálico, coloquem a fala dessa pessoa em um bloco de citação. Para isso, usem as tags <blockquote> e </blockquote>.
  • Para criarem links, usem o comando <a href="http://www.o-site-que-deseja-linkar.com.br">Texto do Link</a>.
  • Não usem BBCodes. Não funciona aqui. Só HTML.
  • E, por último, aprendam a usar parágrafos. Basta separar as frases com duas tecladas no Enter para ficar bacana. E não dêem Enter a menos que queira fazê-los ou vai ficar bagunçado.

Volta e meia eu edito os comentários para ficarem certinhos. São os comandos acima que eu uso e seria uma boa prática se vocês usassem também.

50 ideias sobre “Atualização de Novembro de 2008

        1. Alenônimo Autor do post

          Para imagens você usa <img src="http://site-qualquer.com.br/imagem-que-deseja-usar.jpg" alt="Texto Alternativo para quem não pode ver as imagens" />

          Mas fica esperto porque qualquer imagem abusiva não só será apagada como pode me fazer te chutar pra longe do site. Vamos manter isto aqui utilizável.

          Responder
  1. Maurício

    Gostei de mais da atualização.

    Muito Legal, mas tive que mudar o nível de zoom da minha tela pra apresentar a página inteira.

    Alenônimo,

    Muito 10 as suas dicas. Só falta aprender.

    Responder
    1. Alenônimo Autor do post

      Não entendi.

      Bom, você pode responder a qualquer comentário. Dá para agrupar um dentro do outro até 5 vezes. Não foi feito para ficar lento. Você pode navegar por todos os comentários antigos no final dos comentários, agora que eles estão paginados.

      Responder
  2. weiner assis gonçalves

    Alenônimo
    Quando acontece dos comentários sairem de "comentários recentes" as pessoas não tem como saber se houve replica nos seus, é algo que ainda não sei como lidar.
    Um forte abraço.

    Responder
  3. Hecton

    Tudo que facilita certamente é melhor, e o ano de 2008 está acabando, nada como "entrar" em 2009 com uma cara nova.
    Os recursos apresentados são interessantes, talvez eu faça uma migração para o WordPress também…

    Responder
      1. Hecton

        Não sabia, mais imaginei que ele tivesse essa opção de importação de conteúdo, quando o blog tiver uma gama maior de artigos vou começar a fazer a mudança. Acabo de ver no about “WordPress is an Open Source project” talvez isso explique os recursos avançados.

        Abraços.

        Responder
  4. Perce Polegatto

    Uma aluna da faculdade perguntou-me como a Lua podia emitir luz, depois de eu ter dito que a Lua era mais nova que a Terra, havia se formado depois, e era apenas um monte de pedras e areia.
    Ela pensava que a Bíblia tinha razão e que Deus havia criado o Sol e a Lua, um para iluminar o dia, outra para iluminar a noite, portanto ela entendia que aquilo era uma espécie de lanterna no céu.
    Não se trata de ridicularizar essa aluna, mas esse exemplo (tanto quanto muitos outros que coleciono em minha memória) é notável. Impressiona que uma estudante chegue à idade adulta sem noções básicas de astronomia relativa ao nosso próprio Sistema Solar. Sem ter ao menos se perguntado alguma vez se aquilo era luz refletida ou emitida, enfim…
    Esse é um ponto em que eu insisto em meus comentários: a lacuna na educação com relação à Ciência, principalmente. (História também: eles pensam que a Bíblia é a História da Humanidade, não estou brincando.)
    Por que os livros evitam o darwinismo etc?
    Por que as escolas têm que evitar confrontar as fantasias religiosas? Para evitar problemas com os pais dos alunos?
    Que problemas?
    Ajudem-me a entender.

    Responder
  5. Je$u$

    a nao eskeçam de enviar cartoes de natais e ano novo para os blogs dos carolas , pra eles nao pensarem que nao lembramos dele no HOLYDAYS.

    hauahuahuaah

    Responder
  6. Icarus

    Parabéns, ficou bem melhor o assim, só acho que falta alguma coisa como por exemplo uma imagem de fundo pelo menos lá em cima onde esta o nome do site, mas, tá beleza ficou bom assim mesmo.

    Responder
    1. weiner assis gonçalves

      Perce
      Lí uma cronica da Marcus Valério XR referente ao diabo, sabe a gente conclui que se ele existisse seria um personagem benevolente e despidos de todas as monstruosidades do deus bíblico, alias ele diz que foi enganado por deus, que usurpou o seu domínio pelo planeta terra e com seus exércitos o mantém cativo, parece que faço alguns aditivos no conto original, não estou bem certo, mas fábula e fábula, nada mais que fábula.
      Um forte abraço.

      Responder
  7. Perce Polegatto

    Weiner

    Interessante. O diabo é meio vítima mesmo, meio patético. No folclore popular, sempre leva a pior e às vezes não está fazendo nada mais do que fazemos normalmente, ambicionando bens materiais ou sexualidade, enfim, as velhas tentações que nos conduzem ao paraíso na Terra: uma linda mansão em Beverly Hills com uma mulher bem gostosa do lado.
    Os donos das igrejas podem ter isso tudo, por exemplo, um Edir Macedo ou outro malandro menos célebre. Mas para nós, do rebanho, é coisa do diabo, claro.
    Abração.

    Responder
  8. DiegoRO

    Sem falar que no livro de mitologia cristã, Javé e Jeshua benYusef perdem mais a linha do que o próprio diabo: a "besta" só apronta no finalzinho, no Apocalipse.

    Responder
  9. nildo

    Se na concepção dos cristãos, {evangélicos principalmente}, esse “deus” é bom, é magnânimo e poderoso e permite acontecer tantas coisas como estas cenas acima, imaginem só se ele não fosse nada disso. Como na verdade ele não existe, vamos acreditar que tudo isto é só fatalidade. Eu, por exemplo, vivia temendo tudo que tivesse relação com esse “deus”, até o dia que comecei a ler esse livro. Fiquei então fazendo comparações e cheguei a conclusão de que tudo isso não passa de mentiras, impostas por nossos pais e avós, para temer-mos um ser que nunca vimos e nunca iremos ver. Um abração!

    Responder

Deixe uma resposta